Bolas de Berlim



A Bola de Berlim é um bolo tradicional semelhante à Berliner alemã. Ao contrário desta, normalmente recheada com doces vermelhos (morango, framboesa, etc.), é recheada com um doce amarelo chamado creme pasteleiro. Há duas versões da Bola de Berlim; a portuguesa que leva o creme pasteleiro e a brasileira que é recheada com goiabada.
As que apresento aqui são do tipo português e são uma delícia, exactamente iguais às de compra. 
A receita é do Pasteleiro Pierre Hermé.



Massa mãe:
5 g de levedura fresca
180 ml de água mineral a 20ºC
165 g de farinha forte (para pão, tipo 65)
110 g de farinha fraca (a de trigo corrente)

Para a Massa:
150 g de farinha forte
100 g de farinha fraca
11 g de flor de sal
65 g de açúcar fino
5 gemas
60 g de levedura fresca
60 ml de leite gordo
65 g de manteiga em quadradinhos
2 panos de cozinha e farinha para polvilhar
Açúcar em pó, ou fino para polvilhar no final

Creme pasteleiro:
300 ml de nata
600 ml de leite
200 g de açúcar
80 g de maizena
3 gemas
Raspa de limão, laranja, pau de canela, baunilha

Para fritar:
1 l de óleo de sementes de uva ou margarina


Preparar a massa mãe:
Desfazer a levedura numa taça, juntar a água e mexer até que se dissolva.
Pôr uma peneira sobre a taça e juntar a farinha. Misturar até obter uma massa homogénea e líquida.
Cobrir com um pano ou película aderente e deixar levedar cerca de 1 h e meia / 2 horas.
(a massa está pronta quando se formem pequenas bolhas à superfície).

Preparar a massa:
Pôr a massa mãe na batedeira (com o gancho de amassar).
Incorporar as farinhas peneiradas, a flor de sal, o açúcar, as gemas e a levedura dissolvida no leite.
Amassar em velocidade média por 20 minutos. (A massa deve desprender-se das paredes do recipiente). Pode amassar à mão se preferir, que não levará mais de 20 minutos.
Incorporar a manteiga aos poucos, enquanto continua a bater até que a massa esteja homogénea.
Passar a massa para uma taça coberta com película aderente ou um pano e deixar que duplique de volume.
Pressionar a massa fermentada para que recupere o seu volume inicial.
Dividir a massa em 25 bolas redondas e dispor sobre um pano enfarinhado com 5 cm entre si. Cobrir com outro pano e deixar que dupliquem de volume. (Estas várias fases de fermentação são muito importantes para que as bolas de berlim fiquem fofinhas, portanto não salte nenhum deles).
Aquecer o óleo a 160ºC* ( se não tiver termómetro, basta que não deixe o óleo aqueça muito) e fritar as bolas 10 a 12 minutos, virando a meio da cozedura.
Escorrer bem sobre um papel absorvente ou pano à medida que se vão fritando. 
Abrir as bolas e rechear ou encher um saco pasteleiro de creme com um bico médio e fazer um pequeno orifício no centro da bola, para introduzir o recheio. Polvilhar com açúcar fino ou açúcar misturado com canela ou, ainda, açúcar em pó.

Preparar o creme pasteleiro: 
Numa taça misturar as gemas, o açúcar, a maizena e uma parte do leite (o suficiente para que tudo se dissolva). Aquecer o leite e a nata com os aromatizantes.
Deitar o leite e a nata quentes sobre a mistura de gemas, mexendo sempre.
Coar. Levar de novo ao lume, mexendo sempre, até que engrosse e sem que ferva. Arrefecer mexendo constantemente, tapar com película aderente sem que haja ar entre este e o creme.
Refrigerar até usar.
Para o creme ficar brilhante, leve e fofo basta que o passem pela batedeira antes usar.




Nota: Rende 25 bolas.
Fonte: Pasteleiro Pierre Hermé