Muffins de Mel e Maracujá


















125g de manteiga derretida (usei da marca Terra Nostra)
300g de farinha com fermento
75g de farinha sem fermento
4 colheres de sopa de açúcar
2 ovos, levemente batidos
3 colheres de sopa de mel claro (usei o Mel da Serra de Portel)
250g de iogurte natural
125g de polpa de maracujá (cerca de 6 maracujás roxos)


Pré aqueça o forno a 210ºC.
Prepare 12 formas de muffins (de 125ml) untando-as com margarina derretida e polvilhando-as com farinha. Coloque-as dentro de um tabuleiro de ir ao forno, reserve.
Num recipiente grande, junte as farinhas e o açúcar, misture e faça uma cavidade no centro do preparado.
Coloque a manteiga e o mel num tacho e leve a lume brando, mexendo sempre, até derreter. Retire do fogão, espere que arrefeça um pouco e verta esta mistura na cavidade dos ingredientes sólidos, juntamente com os ovos, iogurte e polpa de maracujá. Mexa com uma colher de metal até que tudo esteja bem misturado. Não bata demasiado a massa, pois este deve ter uma textura grumosa.
Coloque a massa nas formas preenchendo apenas ¾ da sua capacidade. 
Leve ao forno por 20-25 minutos, aproximadamente (faça o teste do palito). Retire do forno e deixe arrefecer na forma por 5 minutos, desenforme e deixe arrefecer sobre uma grade.

Nota: Rende 12 Muffins médios, usando formas de 125ml.



Para acompanhar estes muffins, recomendo:


Porto Adriano Reserva
Ramos Pinto


Este é o vinho do fundador da Casa Ramos Pinto. Este vinho conquistou o Brasil ao ponto do Vinho do Porto ser conhecido apenas por “Adriano”. É um vinho muito agradável e versátil.
O Adriano é um blend de 6 anos de idade. É a partir dos 6 ou 7 anos que o Vinho do Porto começa a precipitar a sua pigmentação vermelha e as nuances de Tawny começam a aparecer.

Notas de Prova:
Cor com notas vermelhas de tawnies semi-evoluídos, com menisco alaranjado, fruto do seu envelhecimento.
Apresenta uma grande densidade, com notas de fruta fresca (cereja e amora). O envelhecimento em carvalho proporciona o aparecimento dos aromas a frutos secos (ameixa e noz) e aromas etéreos e balsâmicos.
O ataque a frutos frescos é intenso e gradual. Equilíbrio perfeito entre a frescura e o envelhecimento. As notas apimentadas provêm da sua maturidade. Na boca é longo, elegante e suave.






Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação desta sobremesa.

O meu muito obrigada à Terra Nostra, Mel Serra de Portel e Ramos Pinto pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.