Parceria com Ramos Pinto








É como muito gosto que informo, a todos os que me visitam, acerca da parceria entre o Nárwen's Cuisine e a Ramos Pinto.
Esta é uma empresa, com mais de 130 anos, que produz e comercializa vinhos do Porto, Douro, Regionais Durienses e Aguardentes.



A empresa deve o seu nome ao seu fundador, Adriano Ramos Pinto, no ano de 1880.
A Casa Ramos Pinto depressa se fez notar pela sua estratégia de inovação e pioneirismo. Associada a vinhos engarrafados de qualidade, implantou-se no mercado brasileiro no início do século XX e rapidamente se tornou responsável por metade do vinho exportado para a América do Sul, enquanto ia conquistando gerações de fiéis apreciadores em Portugal e na Europa. Estas foram consequências naturais de uma estratégia de vanguarda, apoiada na modernização dos circuitos de selecção, lotagem e envelhecimento, na investigação vitivinícola constante e no especial cuidado que Adriano Ramos Pinto dedicou à embalagem e promoção dos seus vinhos.
Os vinhos Ramos Pinto tornaram-se, assim, uma referência de qualidade.

Deste apaixonante percurso nasceu uma colecção única de objectos de arte, hoje expostos na Área Museológica - Casa Ramos Pinto, recentemente inaugurada.
O gosto pela cultura, incutido por Adriano Ramos Pinto na filosofia de actuação da Casa Ramos Pinto, mantém-se até aos nossos dias. Já em 1997, a Casa Ramos Pinto criou o Museu de Sítio de Ervamoira, destinado à investigação ambiental, enológica, arqueológica e antropológica do Vale do Côa. Existe ainda à disposição dos investigadores um Arquivo Histórico, em Vila Nova de Gaia, com um precioso acervo documental sobre a produção e exportação de vinhos desde as últimas décadas do século XIX.
Ciente de que a qualidade dos seus vinhos começava a ser delineada na terra mãe do Douro vinhateiro, a Casa Ramos Pinto perscrutou meticulosamente esta Região Demarcada, acabando por se tornar proprietária de quintas com características muito especiais, com o fim de alcançar o objectivo de assegurar o controlo e a qualidade de todo o processo de produção. Aprimorando os ses vinhos, a Ramos Pinto criou néctares únicos, com assinatura própria.
Em 1990, a Casa Ramos Pinto passou a integrar o Grupo Roederer, cuja história tem características idênticas. As qualidades que deram fama à Casa Ramos Pinto ganham assim uma maior dimensão internacional.

Actualmente, é Frédéric Rouzaud, bisneto de Camille Olry-Roederer, quem lidera a obra começada há cinco gerações. 
Apaixonado por grandes vinhos, sucedeu a seu pai, que foi um dos raros proprietários de Casas de Champanhe a ter uma formação em enologia e a participar pessoalmente na produção dos seus vinhos. 

Determinado em manter o Champagne Louis Roederer no topo da qualidade, Frédéric vê-se empenhado na missão de continuar a desenvolver harmoniosamente as empresas afiliadas, que o pai reuniu em volta da casa mãe, em Reims, no respeito pelos valores da exigência e independência, que foram os pilares do seu inegável sucesso. 
Desde o início, tem dado novo impulso aos investimentos vitivinícolas, tendo adquirido o Domaine Ott em 2004, produtor do melhor rosé da Provence e o Château Pichon-Longueville Comptesse de Lalande, 2º cru classé, em 2007, um dos mais reputados produtores da região de Bordeaux 





Para finalizar, vou mostrar algumas fotografias com os produtos que a Ramos Pinto teve a gentileza de me oferecer. Posso dizer que, ao abrir a caixa enviada, um sorriso instalou-se no meu rosto e não mais de lá saiu.

E é fácil de perceber porquê! Pois quem não gosta de receber produtos de qualidade inestimável?






O meu muito obrigada à Ramos Pinto pela simpatia e pelos produtos fantásticos que me enviaram. 

Por fim, posso dizer que é de louvar a qualidade destes produtos e que estou desejosa de fazer receitas com eles para, mais tarde, partilhar convosco.