Folar de Maçã (Recheado)

















400g de farinha
25g de fermento de padeiro fresco
100ml de água morna
40g de mel (usei o mel biológico da marca Acushla)
1 ovo pequeno
100g de açúcar
40ml de leite (usei o leite meio-gordo da Terra Nostra)
50g de manteiga (usei da marca Terra Nostra)
3 maçãs golden
1 colher de chá de canela em pó (usei da marca Suldouro)
1 colher de chá de erva-doce em pó (usei da marca Suldouro)
1 ovo batido (para pincelar)
1 pitada de sal (usei a flor de sal Marnoto)
Açúcar q.b.


Dissolva o fermento na água morna e junte-lhe 125g da farinha, envolva bem e deixe repousar, tapado, por 30 minutos.
Após este tempo, junte a restante farinha à massa-mãe que esteve a repousar e adicione, também, o açúcar, o leite e a a canela e erva-doce, misturando-os. Acrescente a manteiga amolecida, o mel, o sal e amasse bem. Por fim, junte o ovo e amasse, sovando, durante uns minutos ou até a massa  se apresentar lisa  e fofa (se necessário, junte mais farinha).
Forme uma bola com a massa, coloque-a num recipiente bem tapado com um pano grosso e deixe levedar, protegida de correntes de ar, até dobrar de volume (cerca de 2 horas).
Coloque a massa sobre uma superfície enfarinhada (reserve um pouco para a decoração) e estique-a em forma de círculo de diâmetro maior ao de um prato. No centro desta, coloque duas maçãs e meia cortadas em pedacinhos (reserve a restante metade inteira) e polvilhe com açúcar a gosto. Feche a massa, como se fosse um saco, unindo as pontas ao centro e moldando-a em círculo. Vire a parte lisa para cima e, sobre esta, adicione um cordão de massa em forma de círculo feito a partir da massa que reservou. Se necessário, una o círculo de massa ao folar com o auxilio de um pouco de leite pincelado entre ambos.
No interior do círculo de massa, disponha fatias finas da metade de maçã que reservou e polvilhe com um pouco de açúcar.
Transfira o folar para um tabuleiro com papel vegetal, tape-o com um pano, e deixe levedar por mais 30 minutos.
Seguidamente, bata o ovo, pincele o folar e leve-o ao forno, pré-aquecido a 180ºC, por cerca de 50 minutos (na primeira metade deste tempo deve forrar os folares com folha de alumínio e destapa-los depois para ganharem cor).



Para acompanhar estes biscoitos, recomendo:


Porto Tawny
Ramos Pinto


O Tawny é um blend de 3 a 5 anos obtido por lotação de vinhos com um grau de maturação variável, conduzido através de envelhecimento em cascos e tonéis. Envelhecido em pipas, apresenta-se sempre mais evoluido do que o Ruby.

Notas de Prova:
Cor vermelha tawny, com menisco cor de topázio.
No aroma, a primeira impressão é de leveza, evoluindo para uma grande suavidade adquirida pelo estágio em madeira.
A sensação na boca é leve, quente e de grande macieza, resultado do seu envelhecimento.

Este “adolescente” é um Porto maduro e frutado com um carácter complexo e delicado. No final, o equilíbrio é perfeito, conferindo-lhe uma saborosa delicadeza.




Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação destes biscoitos.

O meu muito obrigada à Acushla, Terra Nostra, Suldouro Ramos Pinto pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.