Folar de Páscoa




















1dl leite morno
27g de fermento de padeiro
500g de farinha para pão
75g de açúcar
75g de manteiga, em temperatura ambiente
1 ovo grande
1 laranja (sumo)
1/2 c. de sobremesa de canela em pó (usei da marca Suldouro)
1/2 c. de sobremesa de  erva doce em pó (usei da marca Suldouro)
1 pitada de sal (usei a flor de sal Marnoto)

Cobertura e recheio:
1 ovo batido 
5 colheres de sopa de açúcar
1 colher de sopa de canela em pó (usei da marca Suldouro)
Mistura de açúcar e canela em pó q.b.
Geleia de marmelo q.b.
Confetis multicolores da marca Vahiné

Dissolva o fermento de padeiro no leite morno. Num recipiente pesado e fundo, coloque a farinha e abra uma cova no centro desta. Coloque aí a mistura de leite com fermento e misture bem. Junte os restantes ingredientes (com excepção dos que pertencem à cobertura e recheio) e misture muito bem até obter uma massa lisa, macia e homogénea. Forme uma bola, coloque-a num recipiente, tape-o bem e deixe levedar até dobrar de volume (cerca de 1:30h).
Pré-aqueça o forno a 160ºC e forre uma forma redonda, grande, com papel vegetal. Reserve.
Coloque a massa numa superfície lisa e forme, com ela, um rolo bastante comprido. Achate-o o mais que puder e salpique-o com as 5 colheres de açúcar misturadas com a colher de canela, evitando as beiradas da massa. Enrole no sentido horizontal, como se fosse uma torta e une muito bem as pontas e toda a massa do rolo, de modo a que pareça um único pedaço de massa, sem dobras. Vire a massa para formar um U e entrelace as duas pontas. Depois una as duas pontas formando um rolo. Pincele com o ovo batido e salpique com uma mistura de açúcar e canela.
Leve ao forno por 45 minutos, aproximadamente. Retire do forno e pincele com geleia de marmelo e decore com confetis multicolores.



Para acompanhar esta sobremesa, recomendo:




Late Bottled Vintage (LBV) 2003 - Quinta do Estanho

Vinho do Porto de excepcional qualidade, de uma só colheita oriunda de uvas tintas das castas Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca, Tinta Roriz, entre outras.
Verificado com especial rigor, envelhece em tonéis de madeira até ao 4º ou 6º ano e depois em garrafa.

Notas de Prova: Vinho retinto na cor, frutado e encorpado no paladar. 










Aqui está o produto fantástico que usei para acompanhar deste bolo.

O meu muito obrigada à VahinéSuldouro, Necton e Quinta do Estanho pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.