Bolo Rei Salgado



















1 chouriço de sangue (usei da marca Minho Fumeiro)
1 pedaço de barriga fumada (usei da marca Minho Fumeiro)
600 g de farinha
20 g de fermento de padeiro fresco (usei uma saqueta de fermento de padeiro Vahiné)
200 ml de água morna
600 g de farinha
2 c, chá de sal (usei a flor de sal Marnoto)
100 g de manteiga (usei a manteiga com sal transmontana da Lacticínios do Paiva)
3 ovos
100 ml de azeite (usei o Azeite Castelo de Marvão)
50 g de amêndoas laminadas
1 gema + 2 c. sopa de leite para pincelar


Dissolva o fermento na água morna. Retire a pele ao chouriço de sangue e corte-o em cubinhos. Descarte o courato da barriga fumada e corte-a também em pedacinhos, sendo que deve reservar um pouco para a decoração.
A um recipiente largo, adicione a farinha, abra-lhe uma cavidade ao centro e acrescente o sal, a manteiga, os ovos, o azeite e a mistura de fermento. Misture bem e trabalhe a massa até se apresentar elástica e não colar dos dedos (se necessário, junte um pouco mais de farinha).
Incorpore os enchidos na massa e misture-os muito bem na mesma.
Forme uma bola com a massa, coloque-a num recipiente tapado com um pano e deixe duplicar de volume por, cerca de, 1-2 horas.
Prepare um tabuleiro forrando-o com papel vegetal e pré-aqueça o forno a 180ºC.
Trabalhe a massa mais um pouco e molde-a em forma de anel (eu fiz dois anéis mais pequenos). Coloque o bolo rei no tabuleiro preparado, cubra com um pano, e deixe levedar por mais 30 minutos.
Pincele com a mistura de ovo batido com leite e decore com pedaços de barriga fumada e as amêndoas laminadas.
Leve ao forno, tapando-o a meio da cozedura com uma folha de alumínio, até dourar por, cerca de, 40 minutos.
Sirva morno ou frio.



Para acompanhar este pão, recomendo:


Vinhão - Grande Escolha
Adega Ponte da Barca 

Castas: Vinhão
Região: Vinhos Verdes

É um vinho verde obtido exclusivamente a partir da rigorosa seleção da mais ilustre casta tinta da região - Vinhão.
 Com uma cor intensa e aroma a frutos vermelhos, tem um passado milenar e dispõe de características invulgares o que faz dele um vinho da modernidade pela sua polivalência gastronómica, sendo considerado um ex-libris na região. 

Este é um vinho excelente para o acompanhamento de pratos muito variados, entre outros pratos de carne, principalmente grelhados e assados.







Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste pão.

O meu muito obrigada à Minho Fumeiro, Lacticínios do Paiva, Vahiné, Azeite Castelo de Marvão, Necton e Adega Ponte da Barca pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.