Parceria com Quinta do Estanho ::: Relembrar








Hoje venho relembrar uma parceria estabelecida pelo Nárwen's Cuisine há mais de um ano, faço isto, porque a Quinta do Estanho é uma marca de qualidade superior com produtos fantásticos.
Esta é uma empresa de cariz familiar situada na margem do Rio Pinhão que produz vinho do Douro, Porto e bagaceira velha.




Consta que, o Douro teve fama arqueológica anterior à vinhateira. De facto, passaram por esta região povos que descobriram a riqueza do subsolo e exploraram ouro e estanho que não só eram abundantes, como podiam ser extraídos por meios rudimentares, em uso nos tempos proto-históricos.
Do estanho ao vinho foi um passo e na margem esquerda do rio Pinhão, reconhecidamente ancestral, fica a "Quinta do Estanho", conhecida pelo nome do mineral que aí proliferava. Depois de explorado o subsolo, passou-se ao cultivo da vinha.
Nesse tempo, foi com grande esforço, que se desbravaram encostas escarpadas, construíram socalcos e plantaram videiras de castas nobres que, graças a um microclima favorável e a uma altitude de 300 metros, produzem néctares dignos de levarem a "Quinta do Estanho" a ser incluída na primeira demarcação de "Vinhos de Feitoria". Esta apelação foi concedida em 1757 por Sebastião José de Carvalho e Melo, "Marquês de Pombal" e Primeiro Ministro de El-Rei D. José I.
Infelizmente, nesse bom tempo, abateu-se sobre a região a praga da filoxera. Esta, destruiu tudo, semeando tristeza e desalento na outrora faustosa quinta, onde hoje só restam, em estado de ruínas, uma casa e uma adega. São estes edifícios que, na actualidade, servem de logótipo aos produtos da Quinta.
Já no segundo quartel deste século, Jaime Acácio Queiroz Cardoso, advogado, regressa do Brasil e, imbuído da ancestral tradição familiar do cultivo da vinha e da produção vinícola, chama a si a reconversão da propriedade. Com pulso forte e muitos sacrifícios, tem vindo a reconstruir a "Quinta do Estanho". Tem-lhe dado o perfil que hoje mostra, mecanizando-a e plantando castas seleccionadas: Touriga Francesa, Tinta Roriz, Tinta Barroca e Mourisco para os vinhos tintos; Malvazia Fina, Malvazia Grossa, Gouveia e Rabigato para os vinhos brancos.E, para que a tradição não se perca, já está a iniciar os seus filhos na arte de bem cultivar e produzir os já afamados vinhos "Quinta do Estanho". 


A Quinta do Estanho situa-se na margem esquerda do Rio Pinhão, a uma altitude média de 300 metros e produz vinhos de qualidade louvável há várias gerações. 
O seu proprietário, Jaime Acácio Queiroz Cardoso, em 1987 tornou-se no segundo Produtor – Engarrafador – Exportador de todo o Douro, vendendo os seus Vinhos directamente para o mercado nacional e Internacional.

A Quinta do Estanho, tornou-se numa das primeiras empresas do sector, lançando, em 1987, os vinhos do Porto 20 Anos e Old White Special. 
Em 1988, lançou o seu primeiro Vinho do Douro. V.Q.P.R.D. Tinto 1985 e a crítica, ao mesmo, não poderia ser melhor. 
E, tudo isto, apostando na qualidade dos seus vinhos, elaborados segundo métodos tradicionais com pisagem a pé em lagares de granito com curtimenta prolongada, selecção de castas, etc...
Em 1990, motivado pela boa aceitação de seus vinhos e com o desejo de expansão, adquiriu a Quinta dos Corvos, situada na margem oposta do Rio, com 25 ha e uma qualidade comprovada dos vinhos aí produzidos. 
Em 1992 foi aprovado o seu primeiro Vintage – 1989, classificado como "muito bom" pelo I.V.P.. Desde então, e dada a qualidade sólida de seus vinhos, aprovou também, os de 1990, 1991, 1994, 1995, 1996, 1997, 1998 e 2000. 

Em 1997 foi lançada a primeira versão do site da empresa. E, no ano seguinte, deu-se inicio à participação em concursos de reconhecida credibilidade. Desde então, a Quinta do Estanho, foi galardoada com 104 prémio de qualidade.

No ano 2000 ainda foram lançados os seus primeiros Douros topo de dama, o Varietal, Quinta do Estanho Tinta Roriz 1999 e o Reserva 1989, seguindo-se os Tinta Roriz 2000 e Reserva 2000 e 2001, premiados e muito bem cotados na imprensa.

Nos dias de hoje, a Quinta do Estanho, permanece com o cariz familiar que a tem motivado a crescer. 
Estando presente em países como E.U.A, Canadá, Espanha, França, Holanda, Alemanha, Irlanda, Suiça, Noruega, Itália, Bélgica, Dinamarca, Sérvia e Brasil.

A aposta na qualidade mantém-se e o desejo de crescimento continua vigente em toda a família.
A empresa tem como objectivos, alargar a sua presença no mercado externo, consolidar a sua presença no mercado interno, nomeadamente no que concerne a empresas e instituições e continuar, merecidamente, a receber prémios de qualidade. 



Para finalizar, vou mostrar algumas fotografias com os produtos que a Quinta do Estanho me enviou.
Posso dizer que, ao abrir a caixa enviada, um sorriso instalou-se no meu rosto e não mais de lá saiu.

E é fácil de perceber porquê! Pois quem não gosta de receber produtos de qualidade inestimável?





O meu muito obrigada à Quinta do Estanho pela simpatia e pelos produtos fantásticos que me enviaram. 

Por fim, posso dizer que é de louvar a qualidade destes produtos e que estou desejosa de fazer receitas com eles para, mais tarde, partilhar convosco.