Codorniz Recheada com Alheira e Frutos Secos





















6 codornizes
1 alheira transmontana (usei a alheira mirandesa Salnor que pode adquirir na Escrinho)
50 g de sultanas douradas
100 g de amêndoas (usei as amêndoas naturais inteiras da marca MyProtein)
3 dentes de alho, bem picados
1 dl de vinho branco
2 c. sopa de óleo de amendoim
1/3 de c. café de louro em pó
1 c. chá de pimentão doce (usei da marca Margão)
1 pitada de pimenta branca (usei da marca Margão)
Sal q.b. 
Molho de piripiri a gosto (usei da marca Paladin)
1 noz de margarina

175 g de arroz selvagem mix (usei o Oriente Selvagem Mix da Novarroz)
350 ml de água
1/2 cebola pequena
1 fio de azeite (usei o azeite transmontano Casa dos Pradas que pode adquirir na Escrinho)
Sal q.b. (usei o sal marinho Marnoto)



Comece por lavar as codornizes por dentro e por fora, tendo em atenção alguma penugem que possam ter. 
Num recipiente pequeno, misture o óleo de amendoim, o vinho branco, os alhos picados, o pimentão-doce, o louro, o molho de piripiri, o sal e a pimenta branca. Reserve.
Para fazer o recheio, retire a pele da alheira e coloque-a no processador de alimento juntamente com 2/3 da amêndoa e desfaça-as um pouco. Acrescentam-se as sultanas e a restante amêndoa picada grosseiramente, Coloque esta mistura no interior dar codornizes e sele-as usando cordel de cozinha e uma agulha para o efeito.
Transfira as codornizes para um refratário, untado com margarina, regue-as com a marinada que preparou e deixe repousar por 1 hora, pelo menos.
Leve ao forno pré-aquecido a 180º C por, cerca de, 25-30 minutos. A meio da cozedura adicione uma noz de margarina distribuída por todas as codornizes e deixe-as alourar. 
Enquanto isto, leve ao lume um tacho com a água, a cebola e o azeite. Tempere com sal e, assim que levantar fervura, adicione o arroz. Envolva e cozinhe, em lume brando, com o tacho tapado por cerca de 12 minutos. 


Para acompanhar este prato, recomendo:



Conde Villar Branco
Quinta das Arcas


Denominação: Vinho Regional Alentejano
Castas: Roupeiro e Antão Vaz
Ano: 2013


Visual: Cor límpida e citrina.
Aroma: Aroma bastante frutado com tonalidades florais.
Boca:  Caracteriza-se como seco, no entanto é bastante redondo, com uma acidez vincada que casa na perfeição com o álcool.









Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à EscrinhoMyProtein, NovarrozMargão, Paladin, Marnoto e Quinta das Arcas pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.