Folar de Folhas (de Olhão)




















250 g de farinha
15 g de fermento de padeiro fresco (usei 1/2 saqueta de fermento de padeiro Vahiné)
30 g de banha 
60 g de manteiga 
1 pitada de sal (usei o sal marinho Marnoto)
20 g de açúcar
100 ml de sumo de laranja
1 c. sopa de aguardente (usei a aguardente velha da Caves do Solar de São Domingos)
1 c. chá (rasa) de erva doce
40 ml de leite morno (usei o leite meio gordo Terra Nostra)

Recheio:
120g de açúcar amarelo
50 g de manteiga derretida (usei da marca Terra Nostra)
1 noz de manteiga
Canela em pó a gosto (usei da marca Margão)


Comece por amornar o leite e desfaça nele o fermento. 
Num recipiente largo, misture a farinha, o sal, o açúcar e a erva doce. Acrescente a manteiga e a banha e misture, com a ponta dos dedos, até obter uma espécie de farelo. Faça uma cavidade ao centro desta mistura e adicione o sumo da laranja, a aguardente e o fermento dissolvido. Amasse muito bem a massa até que esta se encontre elástica, mas fofa e homogénea (se a massa estiver a colar nas mãos, adicione um pouco de farinha e amasse mais 2 minutos).
Forme uma bola com a massa, faça-lhe uma cruz ao centro (será para verificar se levedou; quando a cruz desaparecer está pronto), tape com um pano e deixe levedar por, cerca de, 2-3 horas ou até duplicar.
Entretanto, unte com manteiga uma panelinha estreita e polvilhe-a com açúcar amarelo.
Divida a massa em 8 partes iguais, amasse-as um pouco e forme um círculo, igual ao do diâmetro da panela que usar, com cada uma delas.
Adicione 2 c. sopa de sopa de açúcar amarelo ao fundo da panela, polvilhe com um pouco de canela e uma noz de manteiga distribuída em pedacinhos. Acrescente o primeiro círculo de massa, unte-o com a manteiga derretida, cubra com açúcar e canela e assim sucessivamente até chegar ao último círculo de massa. Termine polvilhando com açúcar, canela e mais uns pedacinhos de manteiga.
Tape o folar com um pano e deixe-o levedar novamente por mais 1-2 horas.
Quando dobrar de volume, coloque-o em forno, pré aquecido a 180ºC, por 30-45 minutos. Assim que estiver cozido, desenforme-o ainda quente (se o caramelo secar será muito difícil de desenformar).


Para preparar este bolo usei a colher misturadora e espátula de silicone Tupperware da Abóbrinhas.
Para adquirir estes fantásticos produtos, contate o Abóbrinhas por mensagem através do facebook, clicando aqui.






Para acompanhar esta sobremesa, recomendo:



Late Bottled Vintage (LBV) 2003 - Quinta do Estanho

Vinho do Porto de excepcional qualidade, de uma só colheita oriunda de uvas tintas das castas Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca, Tinta Roriz, entre outras.
Verificado com especial rigor, envelhece em tonéis de madeira até ao 4º ou 6º ano e depois em garrafa.

Notas de Prova: Vinho retinto na cor, frutado e encorpado no paladar. 











Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação desta sobremesa.

O meu muito obrigada à Terra Nostra, Caves do Solar de São Domingos, Abóbrinhas, Vahiné, Margão, Marnoto e Quinta do Estanho pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.