Salada Fresca de Salmão Selvagem


















Hoje trago mais uma receita com o fantástico Salmão Selvagem do Alasca que descobri!
Estou realmente fascinada com o seu sabor e textura...

Salmão Selvagem do Alasca, sendo este bem diferente do salmão de aquacultura, que todos consumimos. É diferente na cor, na textura, no sabor e nos benefícios para a nossa saúde. 
Aliás, o importante é ter em mente que o salmão proveniente de criação/aquacultura não é tão saudável quanto o selvagem. A maior parte do salmão que chega ao nosso prato tem valor nutricional baixo, elevada taxa de gordura, além de conter corantes artificiais e antibióticos. 
Sempre que possível, opte pelo salmão selvagem. 
É verdade que o preço do salmão selvagem do Alasca é substancialmente mais caro e não se encontra nos supermercados (descobri que há na Makro). Mas, lembre-se que a pesca nos mares do Alasca é sustentável, ambientalmente responsável e certificada.






1 lombo de salmão selvagem do Alasca
1 fio de azeite (usei o azeite virgem extra - colheita especial - da Quinta da Lixa)
Sumo de limão
Flor de sal (usei a flor de sal Marnoto)
1 pitada de pimenta branca da Margão
1 alface frisada
1 ramo de rúcula
2-3 laranjas
Croutons (usei os croutons naturais da marca Rialto)

4 c. sopa de creme fraiche
1 c. chá de mel (usei o mel de rosmaninho da Apimel)
1 pitada de wasabi


Comece por temperar o lombo de salmão com flor de sal, azeite e pimenta. Deixe marinar por 30 minutos. Leve a grelhar, numa chapa quente, por pouco tempo de cada lado, uma vez que este salmão cozinha muito depressa.
Limpe o salmão de pele e espinhas e corte-o em lascas grosseiras. Regue com um pouco de sumo de limão e reserve.
Enquanto isto prepare o molho misturando o creme fraiche com o mel e o wasabi. Misture muito bem e vá ajustando os ingredientes a seu gosto.
Num prato de servir comece por adicionar as folhas de alface rúcula. Junte também o salmão, a laranha em pequenos pedaços e os croutons.
Sirva de imediato com o molho que preparou.




Para acompanhar este prato, recomendo:


Quinta da Lixa Branco 
O tal Vinho da Lixa

Castas: Loureiro, Alvarinho e Trajadura
Região: Vinhos Verdes

O Quinta da Lixa é produzido com algumas das mais nobres castas da região dos vinhos verdes, produzidos e vinificados na região que lhes dá o nome.
Aspecto brilhante e cor citrina. No aroma apresenta um carácter frutado com algumas nuances a frutos tropicais e um caracter floral.
Na boca confirma toda a expectativa criada pela intensidade do aroma, muito equilibrado, este vinho apresenta-se seco com complexidade e persistência.









Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Apimel, Rialto, Margão, Marnoto e Quinta da Lixa pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.