Rabanadas com Caramelo de Mel e Frutos Secos
















1 litro de leite meio gordo Terra Nostra
Casca de 1 laranja grande
Casca de 1 limão grande
2 paus de canela Margão
80 g de açúcar
4 ovos grandes
15 fatias de pão de forma especial torradas, sem côdea, da Panrico

Caramelo de mel e frutos secos
220 ml de água
150 g de açúcar
3 c. sopa de vinho do Porto (usei o Twany Fundador da Real Companhia Velha)
1 pau de canela
1 estrela de anis Margão
Casca de 1/2 laranja
Casca de 1/2 limão
3 c. sopa de mel (usei o mel biológico em embalagem tops da Ideias e Requintes)
50 g de amêndoas com pele
50 g de nozes partidas grosseiramente
50 g de mistura de passas escuras e douradas


Comece por aquecer o leite e junte-lhe as cascas de laranja e limão (tendo atenção para cortar somente a casca e não levar junto a parte branca da fruta) , o açúcar e os paus de canela.
Deixe ferver, em lume brando, por 5 minutos. Reserve, deixando arrefecer por 30 minutos.
Coe o leite e transfira-o para um prato fundo.
Corte as fatias de pão ao meio de modo a parecerem triângulos, demolhe no leite, de ambos os lados, e passe pelos ovos bem batidos também de ambos os lados.
Leve a fritar em óleo quente até dourar, vire, deixe dourar e coloque sobre papel de cozinha para escorrer a gordura.
Enquanto isto, leve ao lume a água com o açúcar, as cascas de laranja e limão, o pau de canela e a estrela de anis. Faça ferver e adicione o mel, o vinho do Porto e as passas. Deixe ao lume, mexendo ocasionalmente, até que o molho engrosse um pouco. Junte os frutos secos, envolva e deixe arrefecer por 2-3 minutos.
Disponha as rabanadas num prato de servir e regue com o caramelo, distribuindo bem os frutos secos por elas.






Para acompanhar esta sobremesa, recomendo:

Royal Oporto 
10 anos
Real Companhia Velha

Este Tawny, envelhecido por 10 anos em cascos de carvalho, trata-se como um vinho do Porto de qualidade superior.
Durante o processo de envelhecimento, os aromas e sabor a fruta simples, característicos de um vinho jovem, desaparecem e começa-se a deslindar uma vasta gama de aromas subtis e evoluídos - onde é possível antever reminiscências de algumas especiarias, como a alcaçuz, a noz e a baunilha, a compota de fruta e a madeira de carvalho.
É nessa altura que o saber e longa experiência dos provadores da Real Companhia Velha intervêm na tarefa de eleger e antever o futuro desenvolvimento dos Vinhos do Porto selecionados, antecipando o toque que cada um deles irá dar ao lote dos 10 Anos.
O aroma e o sabor, característicos destes vinhos, estão assim nas mãos do provador, que procura criar um lote representativo do carácter da Real Companhia Velha.




Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.
O meu muito obrigada à Terra Nostra, Panrico, Ideias e RequintesMargão Real Companhia Velha pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.