Taças Amorosas












200 g de queijo creme, especial cheesecake, Manjar da Lactimaf
200 ml de natas
1 lata de leite condensado
60 ml de sumo de limão
1 c. chá de aroma a baunilha
6 travesseiros de chocolate Panrico
2 c. chá de açúcar
Multi deco fantasy Vahiné, usei as borboletas

Creme rosa:
1100 ml de leite meio gordo 
80 g de açúcar
1 folha de gelatina vermelha
3 c. sopa, cheias, de doce de framboesa Sabores do Campo
50 g de amido de milho


Comece por levar as natas ao congelador 20 minutos antes de as usar. 
Bata-as em chantilly firme e reserve 2/3 do que obteve num outro recipiente. Ao chantilly que restou junte 2 c. chá de açúcar e bata mais um pouco. Guarde este chantilly no frigorífico para a decoração.
Enquanto isto, bata o queijo creme até que este se encontre cremoso e junte-lhe o leite condensado, aos poucos. Acrescente as natas batidas, o sumo de limão, o aroma a baunilha e envolva muito bem.
Distribua este creme por tacinhas individuais preenchendo-as até metade.
Parta os travesseiros em pedaços e adicione um por cada taça de creme, pressionando os pedaços uns contra os outros.
Entretanto, demolhe a folha de gelatina por 5 minutos. À parte, misture o litro de leite com o doce de framboesa, mexa bem com um batedor de silicone e leve a lume brando. Tape com a tampa-flor de modo a nada verter para fora, aguardando que a compota se dissolva completamente. Coe, junte o açúcar e faça a mistura ferver.
À parte, misture os restantes 100 ml de leite frio com o amido de milho e verta sobre o preparado anterior, misturando muito bem.
Leve novamente ao lume brando e deixe ferver durante 3 minutos, mexendo sempre com o batedor. Assim, que o creme espessar desligue o lume e junte a folha de gelatina escorrida. Envolva delicadamente.
Verta o creme de framboesa sobre a camada de travesseiro e deixe solidificar aguardando 30 minutos.
Decore as taças com o chantilly que reservou e salpique-lhe as borboletas.




Usei a tampa flor da Kochblume para preparar o creme de framboesa, sem verter e sem secar demasiado. Utilizei, ainda, o batedor Kochblume para bater o creme de limão e as stretchii (tampinhas extensíveis em silicone) para conservar as metades de limão que me sobejaram, guardando-as no frigorífico com toda a higiene e sem que adquiram bolores tão depressa.




Para acompanhar esta sobremesa, recomendo:

Royal Oporto 
10 anos
Real Companhia Velha

Este Tawny, envelhecido por 10 anos em cascos de carvalho, trata-se como um vinho do Porto de qualidade superior.
Durante o processo de envelhecimento, os aromas e sabor a fruta simples, característicos de um vinho jovem, desaparecem e começa-se a deslindar uma vasta gama de aromas subtis e evoluídos - onde é possível antever reminiscências de algumas especiarias, como a alcaçuz, a noz e a baunilha, a compota de fruta e a madeira de carvalho.
É nessa altura que o saber e longa experiência dos provadores da Real Companhia Velha intervêm na tarefa de eleger e antever o futuro desenvolvimento dos Vinhos do Porto selecionados, antecipando o toque que cada um deles irá dar ao lote dos 10 Anos.
O aroma e o sabor, característicos destes vinhos, estão assim nas mãos do provador, que procura criar um lote representativo do carácter da Real Companhia Velha.




Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.
O meu muito obrigada à Lactimaf, Kochblume, Panrico, Sabores do Campo, Vahiné Real Companhia Velha pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.