Pavlova de Maracujá












Merengue:
150 g de clara de ovo
200 g de açúcar
1 c. chá de vinagre de pêra rocha do Oeste da Paladin
2 c. chá de amido de milho
1 c. chá de aroma de baunilha Vahiné

Cobertura:
400 ml de natas
4 c. sopa de açúcar
6 gotas de sumo de limão
10 maracujás


Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Bata as claras em castelo pouco firme, (estão no ponto quando formarem uma espécie de pequenos picos), junte-lhes o açúcar, aos poucos, e batendo sempre. Adicione o vinagre, o amido de milho e a baunilha e bata só mais um pouco e na velocidade mínima.
Sobre a medida de 18 cm de diâmetro (eu usei a toalha de silicone que já tem a medida desenhada) disponha a mistura de claras, de modo a formar uma circunferência e sem sair muito da linha (alise-a bem com uma espátula). Leve ao forno pré-aquecido e, no momento em que colocar a pavlova no forno, reduza a temperatura para 150ºC. Deixe cozinhar até que todo o exterior da pavlova se encontre seco e ligeiramente dourado (cerca de 1 hora a 1h30, dependendo do forno). Quando estiver pronta, desligue o forno, deixe-o entreaberto e deixe a pavlova mo seu interior até que esta arrefeça.

Enquanto isso, coloque um pacote de natas no congelador por 20 minutos e após este tempo bata-as em chantilly firme com as gotas de sumo de limão. Junte o açúcar e bata mais um pouco. Reserve no frigorífico até que a pavlova esteja fria.
Quando isto acontecer, transfira-a cuidadosamente para um prato de servir, adicione-lhe o chantilly, alisando-o com uma espátula. Por fim, decore com a polpa e sementes de maracujá.
Pode servir de imediato ou guarda-la no frigorífico até ao momento de servir.




Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Vahiné Paladin pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.