Torta de Santiago




















A Tarte de Santiago (Torta de Santiago em galego e Tarta de Santiago em espanhol) é um bolo típico da Galiza, mais propriamente da sua capital, Santiago de Compostela. Este é confeccionado em homenagem ao Apóstolo Santiago, uma vez que os seus restos mortais se encontram na, mundialmente famosa, catedral desta cidade.
Não se sabe com exactidão quando surgiu a tarte de Santiago, mas, consta que, na idade média já se confeccionava um bolo muito semelhante. Na verdade, em 1577, aquando da visita de Pedro de Porto Carrero à Universidade de Compostela, há referencias de um bolo idêntico mas com nome diferente (torta real). Mais tarde, no século 19, Luis Bartolomé de Leybar faz menção, nas sua notas de culinária, a um bolo cujo nome era "Tarta de Almendras".
No entanto, a receita foi passada de mães para filhas e só no século 20 o bolo passou a ser chamado de "Torta de Santiago", ganhando, então, notória popularidade fora de Galiza. Durante este século, o bolo galego começa, lentamente, a aparecer em tratados gastronómicos espanhóis, onde ele é qualificado como uma sobremesa tradicional galega. Mas, foi graças ao "Caminho de Santiago (percursos percorridos pelos peregrinos que afluem a Santiago de Compostela desde o século IX.)" que ganhou tanta fama, pois estes provavam esta iguaria no percurso até à catedral de Santiago de Compostela.
O bolo/torta não é mais que uma massa de amêndoas, ovo, açúcar, canela e limão, sendo, por fim, polvilhado com açúcar de forma a marcar a silhueta da cruz de Santiago.
Desde o ano de 2006 e até os dias de hoje, a torta de Santiago foi protegida por uma denominação de origem, sendo, exactamente iguais, todas as receitas com este nome.


Eu fiz esta tarte como forma de homenagear o meu namorado que fez "o Caminho de Santiago" em bicicleta ...na passada semana.





250g de amêndoa moída
250g de açúcar
5 ovos
1/2 colher de café de canela
1/2 limão (raspa)
Açúcar em pó q.b.


Pré-aquecer o forno a 175ºC.
Unte com margarina e polvilhe com farinha uma forma de 22cm de diâmetro. Reserve.
Num recipiente coloque os ovos e o açúcar e mexa muito bem com uma vara de arames. Junte a amêndoa moída, aos poucos, e continue a mexer. Adicione a raspa de limão e a canela e torne a mexer. Continue a mexer para que os grumos de amêndoa se desfaçam e a massa se apresente homogénea.Verta a massa na forma e leve ao forno, que deve ter a temperatura diminuída para 170ºC assim que o bolo entrar no forno. Deixe cozinhar por 50 minutos, aproximadamente, ou até que a superfície da tarte esteja dourada e a massa cozinhada.
Retire do forno e deixe-a arrefecer na forma. Desenforme e marque a cruz de Santiago no centro do bolo usando açúcar em pó e um stencil com a Cruz de Santiago.



Para acompanhar este bolo, recomendo:





Moscatel
D.O. Setúbal
Casa Ermelinda Freitas

Notas de Prova:
Vinho de cor dourada, rico e complexo, com aromas a lembrar mel e casca de laranja bem típicas da região. Na boca é cheio e doce revelando boa acidez que lhe confere frescura. Fim de boca persistente e muito prolongado.









Aqui está o produto fantástico que usei na para acompanhar esta tarte.

O meu muito obrigada à Casa Ermelinda Freitas pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.