Salmão Selvagem com Migas de Espargos

















Para fazer este prato tive o privilegio de utilizar um produto muito especial. 
O Salmão Selvagem do Alasca, sendo este bem diferente do salmão de aquacultura, que todos consumimos. É diferente na cor, na textura, no sabor e nos benefícios para a nossa saúde. 
Aliás, o importante é ter em mente que o salmão proveniente de criação/aquacultura não é tão saudável quanto o selvagem. A maior parte do salmão que chega ao nosso prato tem valor nutricional baixo, elevada taxa de gordura, além de conter corantes artificiais e antibióticos. 
Sempre que possível, opte pelo salmão selvagem. 
É verdade que o preço do salmão selvagem do Alasca é substancialmente mais caro e não se encontra nos supermercados (descobri que há na Makro). Mas, lembre-se que a pesca nos mares do Alasca é sustentável, ambientalmente responsável e certificada.




2 tranches de salmão selvagem do Alasca
1 molho, pequeno, de espargos verdes
1/2 broa de milho
5 dentes de alho
1 dl de azeite
1/2 limão
Flor de sal q.b. (usei a flor de sal Marnoto)
1 pitada de pimenta branca da Margão
Azeite d'alho q.b.

Comece por temperar as tranches de salmão com flor de sal.
Corte os espargos em pedaços de 2cm e leve-os a cozer, em água fervente temperada de sal, durante 3 minutos. Escorra-os e reserve o caldo.
desfaça a broa de milho, coloque-a num recipiente e regue-a com um pouco do caldo que reservou, deixe ensopar e junte mais um pouco de caldo se achar necessário.
Aqueça o azeite, junte-lhe os dentes de alho laminados, adicione a broa escorrida e mexa para que estas se desfaça. Tempere com sal e pimenta, envolva e adicione os espargos.
Enquanto isto, pincele as tranches de salmão com o azeite d'alho, de ambos os lados, e leve-os a grelhar numa chapa quente por pouco tempo de cada lado, uma vez que este salmão cozinha muito depressa.



Para acompanhar este prato, recomendo:



Vinho Branco Alvarinho Estreia - Reserva
Adega Ponte da Barca 
Viniverde

Tipo:Vinho Verde – DOC 
Categoria:Vinho Branco – Alvarinho ∙ Reserva ∙ Sub-Região de Monção e Melgaço 

Vinho Verde de cor citrina, obtido exclusivamente a partir da rigorosa seleção de uma das mais ilustres castas brancas da região — Alvarinho. É um vinho seco com aroma a frutos tropicais e notas minerais, envolvente, fresco e persistente. Vinho elegante com sobriedade aromática, o que faz dele uma companhia aprazível para momentos muito especiais. 











Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Margão, Marnoto e Adega Ponte da Barca pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.