Pâte Brisée e Pâte Sucrée











A receita que aqui indico é da mais famosa massa para tartes. 
Esta surgiu na gastronomia francesa e chama-se pâte brisée (se for salgada) ou pâte sucrée (se for doce), sendo conhecida em Portugal como "massa quebrada" e no Brasil como "massa podre".
A Pâte brisée tem como particularidade o seu sabor intenso a manteiga e a sua textura crocante, quase se esfarelando na boca.
Estes dois tipos de massa (doce ou salgada) são o ideal para tartes, tarteletes e quiches.




200g de farinha
1 boa pitada de sal (para tartes doces, exclua o sal)
1 colher de sopa de açúcar (para tartes salgadas, exclua o açúcar)
100g de manteiga sem sal (gelada e em cubos pequenos)
1 ovo levemente batido
2 a 3 colheres de chá de água


Peneire a farinha com o sal (e o açúcar, se for fazer massa doce) numa tigela grande. Junte os cubos de manteiga e,com as pontas dos dedos, misture tudo rapidamente até conseguir uma consistência de farelo de pão. 
Faça uma cova no centro da massa e junte o ovo e a água. Misture tudo com uma espátula firme até formar uma bola rugosa. Se a massa ficar um pouco pegajosa polvilhe um pouco mais de farinha e amasse rapidamente para deixá-la mais homogênea (por não mais de 20seg, para a manteiga não derreter). Embrulhe a massa em película aderente e leve ao frigorífico por, no mínimo, 20 minutos para a manteiga gelar e o glúten relaxar (isso vai deixar a massa bem quebradiça). 
Em seguida, estenda a massa com o rolo formando um circulo e coloque-a sobre uma tarteira (de 23-25cm). Pique o fundo e laterais com um garfo e recheie a gosto



Nota: Esta massa pode ser congelada durante 1 mês (ligeiramente cozida). No momento de usar, deve deixa-la em temperatura ambiente por uns 20 minutos antes de a colocar na tarteira.


Fonte da receita: Le Cordon Bleu