Tarteletes de Limão com Amoras Silvestres



















Massa:
200g de farinha
1 piada de sal
70g de manteiga (usei da marca Terra Nostra)
80g de açúcar
1 ovo
1/2 colher de chá de raspa de limão

Creme:
400ml de leite
1.5 colher de chá de raspa de limão
4 gemas
100g de açúcar
2 colheres de sopa de farinha
2 colheres de sopa de amido de milho (usei da marca Condi)

Decoração:
Amoras silvestres q.b.
100ml de água
4 colheres de sopa de açúcar
1 saqueta de nappage (brilho para tartes) da Vahiné


Creme:
Aqueça o leite com a raspa de limão até levantar fervura.
Bata as gemas com o açúcar até obter um creme esbranquiçado, junte-lhe a farinha e o amido, mexendo muito bem. Adicione metade do leite quente, mexendo sempre com uma vara de arames. Bata bem e transfira o preparado sobre o restante leite, mexendo bem. Deixe levantar fervura, sem parar de mexer, durante 1 minuto. Retire do lume deixe arrefecer
Quando for usar, torne a bater o creme com a vara de arames
Reserve no frigorífico.

Massa:
Unte e enfarinhe 6 formas de tartelete com 8cm de diâmetro e reserve.
Junte a farinha com o sal num recipiente grande. Adicione a manteiga em pedacinhos e amasse, com a ponta dos dedos, até obter uma espécie de migalhas. 
Incorpore o açúcar e faça uma cova no centro da mistura. adicione o ovo previamente batido com a baunilha e misture bem a massa com uma espátula (se a massa estiver muito seca borrife-a com um pouco de água).
Transfira-a para uma superfície polvilhada com farinha e amasse um pouco.Em seguida, molde uma bola, achate-a, cubra-a com película aderente e leve-a ao frigorífico por 30 minutos.
Após este tempo, divida a massa em 6 partes iguais e forre as formas com ela. Cubra a massa com papel vegetal e encha-a com feijões (isto fará com que a massa mantenha a forma desejada após ir ao forno).
Leve as tarteletes a forno pré-aquecido a 180ºC por 10 minutos. Retire os feijões e o papel vegetal e leve-as novamente ao forno até que o fundo esteja cozinhado e levemente dourado. Retire do forno, deixe arrefecer.

Montagem:
Encha as tarteletes com o creme e decore com os as amoras.
Junte o nappage da Vahiné ao açúcar e a 100ml de água, mexa para dissolver e leve ao lume para engrossar. Deixe arrefecer por 3 minutos e pincele as amoras com este preparado.
Deixe arrefecer completamente antes de servir.



Para acompanhar esta sobremesa, recomendo:



Porto Collector Reserva
Ramos Pinto

Mistura de castas provenientes de vinhas velhas tradicionais portuguesas.  De vários lotes jovens é criado um bouquet de cinco anos.

Notas de prova:
A borda vermelha pálida à volta do copo é o único sinal visível de maturidade. A área intermédia que, inicialmente, é opaca, evolui para um vermelho escuro translúcido. Por fim, na base do copo, a cor é de um vermelho intenso.
A sua tipicidade aromática é caracterizada pela semelhança com o vintage, devido ao seu potente fruto dominante e denso, denunciando uma profunda maturação de frutos, tais como a ameixa seca, figo, amora, framboesa e cereja.
O ataque é suave, notando-se uma sensação glicorosa equilibrada e cheia na boca. A sua maturidade de frutos revela-se-nos de uma forma saborosa, exaltando os aromas rectro-nasais mais voláteis e evoluídos. A persistência é notável.





Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação desta sobremesa.

O meu muito obrigada à Terra NostraVahinéCondi, e Ramos Pinto pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.