Bolo de Mirtilos Nevado
















200 g de manteiga (usei da marca Terra Nostra)
220 g de farinha
1.5 c. chá de fermento em pó (usei da marca Fermipan)
1 pitada de sal
1 c. chá de mel claro (usei o mel biológico Acushla)
175 g de açúcar (usei o açúcar mascavado da marca Sovex)
1 limão pequeno, em raspa
1/3 colher de chá de aroma de baunilha (usei da marca Vahiné)
2 ovos, em temperatura ambiente
120 ml de buttermilk* (usei o leite meio-gordo Terra Nostra + 1.5 c. chá de sumo de limão)
200 g de mirtilos

Cobertura:
400 ml de natas
3 colheres de chá de sumo de limão
5 colheres de sopa de açúcar
Mirtilos q.b.

* Buttermilk: faça-o em casa juntando 1.5 colher de chá de sumo de limão a 120 ml de leite e aguarde 10 minutos.



Pré-aqueça o forno a 180ºC e prepare uma forma de chaminé com capacidade para 1400 ml, untando-a e enfarinhando-a.
Na batedeira, junte o açúcar com a raspa de limão e envolva-a com a ponta dos dedos para que liberte o seu aroma. Adicione a manteiga e bata em velocidade média por uns 5 minutos ou até formar um creme fofo. Diminua a velocidade e adicione os ovos, um a um, batendo bem após cada adição. Incorpore também a baunilha e o mel, batendo.
À parte, misture a farinha com o fermento e sal e adicione-a, por 3 vezes, à massa de manteiga, intercalando com o buttermilk.Noutro recipiente, misture os mirtilos com 1.5 colher de sopa de farinha, de modo a que estes fiquem completamente envoltos na mesma, e incorpore-os à massa, misturando com delicadeza.
Verta a massa na forma preparada, alise a sua superfície e leve ao forno por, cerca de, 40-50 minutos (faça o teste do palito).
Retire do forno, deixe arrefecer por meia hora na forma e desenforme para um prato de servir.

Leve as natas ao congelador 20 minutos antes de as usar e bata-as em chantilly firme juntamente com o sumo de limão. Adicione-lhes o açúcar e bata para incorporar. 
Cubra todo o bolo com o chantilly e decore com mirtilos a gosto.



Para acompanhar este bolo, recomendo:


Porto Ruby
Ramos Pinto


É um blend de vinhos com 3 anos de idade, em que se procura suster a evolução da sua cor tinta, mantendo o aroma frutado e o vigor dos vinhos jovens.

Notas de Prova:
Cor vermelha densa, mais intensa do que a do Tawny.
Vivo e intenso. Aromas fortes a frutos característicos das castas, isto é, aromas primários como cereja, amora, ameixa e framboesa, com um ligeiro toque de canela.
O ataque é bastante volumoso devido à sua jovialidade e quantidade de fruto. Pela via rectro-nasal, apercebemo-nos das suas purezas aromáticas provenientes dos aromas das uvas.
Final compacto e longo.





Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste bolo.

O meu muito obrigada à FermipanAcushla, Sovex, Terra NostraVahiné e Ramos Pinto pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.