Blogger templates

traduzir para inglêsTraduzir para Espanholtraduzir para françêstraduzir para alemão

terça-feira, 31 de março de 2015

Folar de Chocolate e Noz



















250 g de farinha
13 g de fermento de padeiro (usei 1/2 saqueta de fermento de padeiro Vahiné)
50 ml de água morna
20 g de mel claro (usei o mel de milflores da Apimel)
60 g de açúcar
15 g de chocolate em pó
1 pitada de sal fino
30 g de manteiga Terra Nostra
25 ml de leite Terra Nostra
1 ovo
1 pitada de canela em pó (usei da marca Margão)
1 pitada de erva doce em pó
60 g de miolo de noz picado grosseiramente
Metades de noz para decorar
Lápis de pasteleiro de chocolate da Vahiné
Lápis de pasteleiro de baunilha da Vahiné


Comece por amornar a água e desfaça nela o fermento. Deixe-o dissolver completamente e junte 70g da farinha indicada na receita (se necessário, junte um pouco mais). Amasse e vá adicionando mais farinha até que a massa não grude nas mãos. Forme uma bola, coloque a massa num recipiente e tape-o com um pano, deixando levedar por 30 minutos.
Num recipiente largo, misture a restante farinha, o açúcar, o chocolate em pó e uma pitada de canela e outra de erva doce. Misture bem e acrescente a massa levedada e a manteiga (previamente misturada com o mel e leite, aquecidos em banho-maria). Junte também o ovo e o sal fino, amassando muito bem (se necessário, junte um pouco mais de farinha).
Amasse e sove até obter uma massa homogénea, em que esta se encontre elástica, mas fofa. Adicione as nozes picadas grosseiramente e amasse mais um pouco.
Forme uma bola com a massa, coloque-a num recipiente tapado com um pano grosso e deixe levedar até dobrar de volume (cerca de 2 horas).
Amasse apenas um pouco para retirar o ar que esteja na massa e dê-lhe a forma oval. Transfira-a para uma toalha de silicone e deixe- levedar por mais 30 minutos.
Leve ao forno, pré-aquecido a 180ºC, por cerca de 30 minutos
Deixe arrefecer um pouco e decore com os lápis de pasteleiro de chocolate e baunilha (não deixe de colocar estes dois sabores, pois darão um sabor muito bom ao folar, em último caso, uso somente o chocolate).
Por fim, decore com nozes e sirva morno ou frio.



Para acompanhar deste folar, recomendo:



Late Bottled Vintage (LBV) 2003 - Quinta do Estanho

Vinho do Porto de excepcional qualidade, de uma só colheita oriunda de uvas tintas das castas Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca, Tinta Roriz, entre outras.
Verificado com especial rigor, envelhece em tonéis de madeira até ao 4º ou 6º ano e depois em garrafa.

Notas de Prova: Vinho retinto na cor, frutado e encorpado no paladar. 












Para preparar estes biscoitos usei os seguintes produtos da Abóbrinhas:





Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste folar.

O meu muito obrigada à Terra Nostra, Apimel, Vahiné, Abóbrinhas, Margão e Quinta do Estanho pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.









segunda-feira, 30 de março de 2015

Folar de Carnes e Queijo




















1 chouriço de carne extra da Sicarze
400 g de carne de frango assada e desfiada
200 g de queijo flamengo Terra Nostra, muito bem picado
450 g de farinha 
32 g de fermento de padeiro fresco (usei 1 saqueta de fermento de padeiro Vahiné)
25 g de açúcar
2 ovos
65 g de azeite (usei o azeite transmontano Casa dos Pradas que pode adquirir na Escrinho)
20 g de banha de porco (ou um substituto vegetal)
30 g de manteiga Terra Nostra
50 ml de leite Terra Nostra
1/2 c. chá de erva doce em pó
1 pitada de canela em pó (usei da marca Margão)
1 haste pequena de tomilho
1 c. chá (mal cheia) de sal (usei o sal marinho Marnoto)


Comece por aquecer 100 ml de água e adicione-lhe o fermento, o sal e uma pitada de açúcar. Deixe-o dissolver completamente e junte 150 g da farinha indicada na receita. Amasse e vá adicionando mais farinha até que a massa não grude nas mãos. Forme uma bola, coloque a massa num recipiente e tape-o com um pano, deixando levedar até dobrar de volume (cerca de 1 hora).
Entretanto, misture a manteiga com o azeite e a banha, leve ao lume, junte o tomilho e deixe derreter.
Quando amornar, descarte o tomilho e adicione as gorduras à massa levedada juntamente com a restante farinha e os ovos. Misture bem estes ingredientes e acrescente o leite e o açúcar. Amasse bem até obter uma massa elástica, que não cole muito nas mãos e que não se apresente seca (se necessário, junte mais farinha).
Forme novamente uma bola, tape com um pano e deixe levedar por duas horas ou até dobrar o seu volume.
Entretanto, unte diversos ramekins com margarina e unte-os com farinha. 
Desfie a carne e livre-a de gorduras e peles. Retire a pele ao chouriço e corte-o em pedacinhos.  Pique o queijo o mais que puder. Misture os três e reserve.
Forme bolinhas de massa com 50g, ou medidas aproximadas, achate-as, passe-as levemente por farinha, de ambos os lados, e forme círculos com o diâmetro dos ramekins que usar.
Coloque um círculo de massa no fundo de cada ramekin, adicione uma porção da mistura de carnes e queijo, cubra com outro círculo de massa e acalque bem as pontas das duas para que estas unam. Siga este processo até encher o ramekin, tendo em conta que a última camada deve ser de massa.Volte a tapar com um pano e deixe levedar mais uma hora.
Assim que cresçam, leve-os ao forno, pré-aquecido a 180ºC, e deixe cozer 20-25 minutos.
Depois dos folares cozidos, desenforme com cuidado e sirva morno ou frio.





Para acompanhar este prato, recomendo:


Conde Villar Tinto
Quinta das Arcas


Denominação: Vinho Regional Alentejano
Castas: Aragonez, Trincadeira, Allicante Bouschet, Touriga Nacional
Ano: 2013


Visual: Cor granada e concentrada;
Aroma: Aromas intensos e frutados, frutos vermelhos;
Boca: Macio e aveludado. Bem estruturado, os taninos e a acidez estão bem conjugados com a fruta abundante.

Visite a loja online: www.quintadasarcas.com/lojadaquinta/





Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Sicarze, Terra Nostra, Margão, Vahiné, Escrinho, Marnoto Quinta das Arcas pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.











sexta-feira, 27 de março de 2015

Choquinhos à Algarvia






















500 g de chocos médios/pequenos, limpos (usei os chocos limpos e congelados da marca Ibertejo, que pode adquirir no Jumbo/Pão de Açúcar)
4 dentes de alho
1 fio de azeite (usei o azeite virgem extra - colheita especial - da Quinta da Lixa)
1 folha de louro
20 g de manteiga (usei da marca Terra Nostra)
80 ml de vinho branco
1 pitada de pimenta branca (usei da marca Margão)
Sumo de limão q.b.
Sal q.b. (usei a flor de sal Marnoto)
1/2 raminho de coentros frescos
Batatas bravas da McCain


Comece por limpar os chocos antes de os usar, é importante que os chocos estejam bem secos antes de os fritarmos, por isso o ideal é seca-los com um pano.
Aqueça o azeite em lume alto, junte os dentes de alho fatiados e a folha de louro. Quando o alho começar a crepitar, adicione os chocos e deixe fritar.
Tempere com sal, a pimenta. Quando os chocos estiverem tostados de um lado, vire-os e acrescente a manteiga, o vinho branco, o sumo de limão e as folhas de coentros picadas grosseiramente. Deixe fritar até que o molho reduza um pouco e os chocos fiquem perfeitamente cozinhados.
Enquanto isto, leve ao forno, pré-aquecido a 200ºC, as batatas bravas até dourarem.
Sirvas os chocos regados com o molho e acompanhe com as batatas.



Para acompanhar este prato, recomendo:



Quinta da Lixa Branco 
O tal Vinho da Lixa

Castas: Loureiro, Alvarinho e Trajadura
Região: Vinhos Verdes

O Quinta da Lixa é produzido com algumas das mais nobres castas da região dos vinhos verdes, produzidos e vinificados na região que lhes dá o nome.
Aspecto brilhante e cor citrina. No aroma apresenta um carácter frutado com algumas nuances a frutos tropicais e um caracter floral.
Na boca confirma toda a expectativa criada pela intensidade do aroma, muito equilibrado, este vinho apresenta-se seco com complexidade e persistência.







Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Ibertejo, McCain, Terra Nostra, Margão, Marnoto e Quinta da Lixa pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.





quinta-feira, 26 de março de 2015

Folar de Cavalinhas Primavera





















3 conservas de cavalinhas primavera da La Gondola
450 g de farinha 
32 g de fermento de padeiro fresco (usei 1 saqueta de fermento de padeiro Vahiné)
25 g de açúcar
2 ovos
65 g de azeite (usei o azeite transmontano Casa dos Pradas que pode adquirir na Escrinho)
20 g de banha de porco (ou um substituto vegetal)
30 g de manteiga (usei a manteiga com sal transmontana da Lacticínios do Paiva)
50 ml de leite 
1 pitada de canela em pó (usei da marca Margão)
1/2 c. chá de erva doce em pó 
1 c. chá (mal cheia) de sal  (usei o sal marinho Marnoto)
1 haste pequena de tomilho ou alecrim



Comece por aquecer 100 ml de água e adicione-lhe o fermento, o sal e uma pitada de açúcar. Deixe-o dissolver completamente e junte 150 g da farinha indicada na receita. Amasse e vá adicionando mais farinha até que a massa não grude nas mãos. Forme uma bola, coloque a massa num recipiente e tape-o com um pano, deixando levedar até dobrar de volume (cerca de 1 hora).
Entretanto, misture a manteiga com o azeite e a banha, leve ao lume, junte o tomilho e deixe derreter.
Quando amornar, descarte o tomilho e adicione as gorduras à massa levedada juntamente com a restante farinha e os ovos. Misture bem estes ingredientes e acrescente o leite e o açúcar. Amasse bem até obter uma massa elástica, que não cole muito nas mãos e que não se apresente seca (se necessário, junte mais farinha).
Forme novamente uma bola, tape com um pano e deixe levedar por duas horas ou até dobrar o seu volume.
Entretanto, unte diversos ramekins com margarina e unte-os com farinha. 
Esmague as cavalinhas com o o próprio molho da lata e reserve,
Forme bolinhas de massa com 50g, ou medidas aproximadas, achate-as, passe-as levemente por farinha, de ambos os lados, e forme círculos com o diâmetro dos ramekins que usar.
Coloque um círculo de massa no fundo de cada ramekin, adicione uma porção da mistura de cavalinhas, cubra com outro círculo de massa e acalque bem as pontas das duas para que estas unam. Siga este processo até encher o ramekin, tendo em conta que a última camada deve ser de massa.Volte a tapar com um pano e deixe levedar mais uma hora.
Assim que cresçam, leve-os ao forno, pré-aquecido a 180ºC, e deixe cozer 20-25 minutos.
Depois dos folares cozidos, desenforme com cuidado e sirva morno ou frio.





Para acompanhar esta entrada, recomendo:


Tinto DOC 2011 - Quinta do Estanho


É um vinho do Douro tinto, produzido a partir das castas Touriga Francesa, Tinta Roriz, Barroca e Mourisco.
Vinificado em lagares de granito com curtimenda prolongada e envelhecido em cascos de carvalho durante três anos.

Aroma complexo a frutos vermelhos, estando bem presente o aroma redutor do envelhecimento em garrafa, que começa a sobrepor-se à madeira bem integrada. Na boca revela-se excelente, macio e complexo, com taninos redondos e tem um final de boca persistente.





Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação desta entrada.

O meu muito obrigada à La Gondola, Lacticínios do Paiva, Escrinho, Vahiné, Margão, Marnoto e Quinta do Estanho pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...