Blogger templates

traduzir para inglêsTraduzir para Espanholtraduzir para françêstraduzir para alemão

terça-feira, 26 de maio de 2015

Duo de Morangos


















2 saquetas de gelatina de morango (usei a gelatina light, 0% de açúcar, da Condi)
1 lata de leite condensado light
200 ml de natas
1 c. sobremesa de sumo de limão
Morangos q.b.


Comece por colocar as natas no congelador 20 minutos antes de as usar. 
Ferva 250ml de água e verta sobre uma das saquetas de gelatina em pó, misture muito bem para que se dissolva completamente e junte mais 250ml de água fria.
Distribua o preparado por copos e leve-os ao congelador, inclinando-os de modo a gelatina preencha somente metade do copo. Assim que solidificar retire-as do congelador para e coloque-as no frigorífico.
Entretanto, prepare a outra saqueta de gelatina do mesmo modo que a anterior e reserve em temperatura ambiente. 
Enquanto isto, bata as natas com o sumo de limão até obter um chantilly espesso, junte-lhes o leite condensado e envolva bem.
Por fim, a gelatina  ainda líquida ao preparado de natas e mexa muito bem.
Verta este preparado nos copos com a gelatina já solidificada e preenchendo o restante da taça. Leve ao frigorífico até solidificar.
Decore com morangos e sirva.



Para acompanhar esta sobremesa, recomendo:


Late Bottled Vintage (LBV) 2009 - Quinta do Estanho

Espuma: Avermelhada
Aroma: Limpo e agradável, com leves notas achocolatadas

Sabor: Limpo e agradável, com taninos equilibrados, denotando ainda um frutado agradável



Vinho do Porto de excepcional qualidade, de uma só colheita oriunda de uvas tintas das castas Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca, Tinta Roriz, entre outras.


Verificado com especial rigor, envelhece em tonéis de madeira até ao 4º ou 6º ano e depois em garrafa.





Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação desta sobremesa.

O meu muito obrigada à Condi e Quinta do Estanho pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.


segunda-feira, 25 de maio de 2015

Bacalhau Assado com Migas de Broa e Espargos



















2 postas de bacalhau (usei o bacalhau demolhado ultracongelado da Bacalhau Dias)
4 dente de alho
1 cebola pequena
1 pitada de pimenta da Margão
Azeite q.b. (usei o azeite biológico virgem extra da marca Acushla)


Migas:
60 g de bacon extra da Sicarze
300 g de espargos verdes
600 ml de caldo de galinha
2 tomates secos (usei da marca Ponti)
1 fio de azeite
200 g de miolo de broa de milho
Vinagre q.b. (usei o vinagre de tomate do Ribatejo da Paladin)
Sal q.b. (usei a flor de sal Marnoto)



Comece por regar o fundo de um refratário com azeite e adicione-lhe a cebola em rodelas e os dentes de alho laminados. Tempere com um pouco de sal, adicione as postas de bacalhau, salpique-lhe um pouco de pimenta e regue com azeite. Leve a assar, em forno previamente aquecido a 180ºC, durante cerca de 20-30 minutos. Durante este tempo deve ir regando o bacalhau com o molho.

Enquanto isto, prepare as migas começando por eliminar a parte mais dura do espargo, para tal deve dobrar o espargo até este se partir. A parte que deve aproveitar é a que tem o espigo enquanto que pode usar a outra extremidade para preparar uma sopa. Pele os espargos, raspando a película brilhante que os envolve, mantendo intacta a parte espigada. 
Aqueça o caldo de galinha e, quando ferver, adicione-lhe os espargos. Deixe cozer até estarem tenros, mas ainda crocantes (al dente). Retire os espargos, corte-os em pedaços pequenos e reserve o caldo da cozedura.
Aqueça azeite numa frigideira e junte-lhe o bacon em pedacinhos, deixando-o fritar um pouco. Acrescente o tomate seco também em pedacinhos e o miolo de broa bem esfarelado. Mexa com uma colher de pau até a broa absorver toda a gordura. Junte os espargos e vá adicionando o caldo da cozedura, a pouco e pouco, mexendo sempre até as migas estarem na consistência pretendida.
Borrife com um pouco de vinagre e misture bem.
Sirva o bacalhau acompanho das migas.




Para acompanhar este prato, recomendo:


Vinhão - Grande Escolha
Adega Ponte da Barca 

Castas: Vinhão
Região: Vinhos Verdes

É um vinho verde obtido exclusivamente a partir da rigorosa seleção da mais ilustre casta tinta da região - Vinhão.
 Com uma cor intensa e aroma a frutos vermelhos, tem um passado milenar e dispõe de características invulgares o que faz dele um vinho da modernidade pela sua polivalência gastronómica, sendo considerado um ex-libris na região. 

Este é um vinho excelente para o acompanhamento de pratos muito variados, entre outros pratos de carne, principalmente grelhados e assados.








Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Bacalhau DiasNobreMcCainMargão, Marnoto e Adega Ponte da Barca pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.







domingo, 24 de maio de 2015

Ofertas da Vahiné para o Dia da Criança








Como já todos sabem, o Nárwen's Cuisine estabeleceu parceria com a McCormick há mais de um ano.
Esta é uma empresa, mundialmente conhecida, que reúne duas marcas (Margão e Vahiné) que adoro, que consumo e que aconselho a todos vós.

Desta vez, a Vahiné teve a gentileza de me enviar alguns dos seus produtos para eu conhecer e experimentar. Estes são ótimas opções para criar deliciosas doces e docinhos para o Dia da Criança|

E você já conhece este fantásticos produtos?


Experimente também!

Inspire-se nestes fantásticos produtos e mime os seus no Dia da Criança!!







Obrigada Vahiné!!

Semana Temática La Gondola, de 25 a 31 de Maio, na “Loja das Conservas”









A La Gondola, empresa de conservas fundada nos anos 40, do século XX., vai à “Loja das Conservas”, em Lisboa, na semana de 25 a 31 de Maio, celebrar o lançamento de novos produtos.
O evento será gratuito e recheado de inúmeras acções que vão dar a conhecer as novas conservas da marca criadas a pensar nos mais novos. 




A Semana da Marca La Gondola tem início com a Exposição “Conservas com Arte ” onde poderá ver gravuras que caracterizam o packaging das várias conservas da marca e que já valeram à La Gondola uma distinção do A’Design Award para a Gama de Conservas Bio. 

A par desta exposição, a semana inicia-se também com “La Gondola Convida”, um encontro marcado para o final de tarde, todos os dias da semana, entre as 18H e as 20H, onde terá a oportunidade de degustar as mais variadas conservas da marca, de elevada qualidade, com respectiva harmonização dos melhores vinhos portugueses.

Na sexta-feira, 29 de Maio, pelas 18H, irá decorrer uma festa Sunset em que todos estão convidados, e onde a música, os cocktails e claro, as conservas La Gondola , vão ser o mote para entrar em modo “fim-de-semana”, de forma muito descontraída e ainda mais saborosa.

Para o fim-de-semana de 30 e 31 de Maio, as conservas La Gondola desenvolveram uma série de iniciativas imperdíveis:

- Showcooking agendados para as 11H30, em ambos os dias - que prometem apresentar inúmeras propostas inovadoras e verdadeiras tentações gastronómicas;

- Presença de uma artesã que irá exemplificar o processo de cartonagem e empapelamento das conservas La Gondola, um processo de décadas que ainda se mantém nos dias de hoje;

- Presença da designer de eleição da marca, Ana Lisa Luças, que desenvolveu a imagem gráfica das novas conservas da marca bem como a identidade da gama BIO. 
Esta estará ao seu dispor para personalizar pranchas de surf aos 4 primeiros clientes que se deslocarem à “Loja das Conservas”, em cada um dos dias, num total de 8 pranchas de surf!





Para quem não tiver disponibilidade de se deslocar à “Loja das Conservas” durante a semana temática, a La Gondola vai ainda desenvolver um passatempo online.
Este decorrerá de segunda a domingo, na página de facebook da marca, onde através de uma mecânica de resposta simples, será oferecido um pack de conservas La Gondola.



Aproveite este evento de excelência para conhecer uma marca de referência!



sábado, 23 de maio de 2015

Parceria com Lacticínios do Paiva









A publicação de hoje é sobre uma das melhores coisas que se faz em Portugal, ou seja, os nossos queijos.
É como muito gosto que informo, a todos os que me visitam, acerca da parceria entre o Nárwen's Cuisine e a Lacticínios do Paiva. Esta é uma marca que adoro, que consumo e que aconselho a todos vós.




Lacticínios do Paiva S.A. é uma empresa agro-alimentar portuguesa especializada em lacticínios e seus derivados.

Esta nasceu no inicio dos anos 30, surgindo da fusão de duas pequenas empresas, a Lacticínios de Lamego, Lda e Lacticínios da Beira, Lda, tendo como propósito produzir e comercializar lacticínios, nos mercados nacional e internacional, através das suas marcas e valorizando a produção dos lacticínios nacionais.

A forte ligação à região onde se insere potencia o desenvolvimento da mesma, sendo, a Lacticínios do Paiva, um importante pólo de dinamização sócio-económica de toda a região Duriense e Transmontana.


Os produtos em questão são produzidos aliando os métodos e receitas tradicionais de produção às novas exigências e tendências de mercado.
Lacticínios do Paiva reúne uma experiência inestimável que se traduz numa tradição com padrões de excelência em termos de qualidade, tal facto, pode ver-se na satisfação dos seus clientes. A empresa, tem vindo, nos últimos anos, a efectuar grandes e contínuos investimentos, na aquisição e modernização de todos os seus equipamento tecnológicos, bem como, nas estruturas necessárias para a realização dos processos associados ao Sistema de Gestão de Segurança Alimentar implementado.
Tudo isto porque, a empresa tem como missão fortalecer a imagem de prestígio, qualidade e segurança, consolidada pelo reconhecimento público do valor acrescentado dos seus produtos, que lhes permite solidificar e fortalecer.



Ou seja, estou a falar de um dos melhores queijos de Portugal.


Os produtos da Lacticínios do Paiva são deliciosos e já os conheço há algum tempo, fazendo estes, parte da tradição alimentar cá de casa.
A qualidade dos produtos é inconfundível e a variedade dos mesmos é algo de extraordinário, sendo realmente difícil de escolher por qual optar.









Para finalizar, vou mostrar algumas fotografias com os produtos que a Lacticínios do Paiva me enviou. Posso dizer que, ao abrir a caixa enviada, um sorriso instalou-se no meu rosto e não mais de lá saiu.

E é fácil de perceber porquê! Pois quem não gosta de um queijinho de qualidade?













O meu muito obrigada à Lacticínios do Paiva pela simpatia e pelos produtos fantásticos que me enviaram. 

Por fim, posso dizer que é de louvar a qualidade destes produtos e que estou desejosa de fazer receitas com eles para, mais tarde, partilhar convosco.





sexta-feira, 22 de maio de 2015

Aperitivo de Morcela e Abacaxi


















1 morcela (usei a morcela receita tradicional do Sr. Cândido da Nobre)
1/2 abacaxi pequeno
1 embalagem de bolacha table water com sementes de sésamo da Carr's


Comece por fatiar o abacaxi, retire-lhe a casca e leve-o a grelhar até dourar levemente de ambos os lados. Corte-os em triãngulos pequenos (ou pedaços) e reserve.
Fatie também a morcela e leve-a a um grelhador elétrico/frigideira sem qualquer adição de gorduras. Deixe-a cozinhar até largar um pouco do seu suco e vire-a, deixando-a escurecer.
Sobre um prato de servir, disponha duas camadas de bolachas e, sobre estas, adicione uma rodela de morcela e pedacinhos de abacaxi grelhado.
Sirva morno ou frio.



Para acompanhar este pão, recomendo:

Espumante São Domingos Tinto Bruto 2009 DOC Bairrada  
Caves do Solar de São Domingos

Castas: Baga (100%)

Notas de prova :
Apresenta uma bonita espuma rosada, muito frutado no aroma, lembrando frutos silvestres e morangos frescos. Na boca é cheio, refrescante e persistente.

Método Clássico:
Após a segunda fermentação em garrafa o vinho é estagiado em cave sobre as leveduras por um período de 16 meses, à temperatura constante de 12ºC e, assim, encontrar o equilíbrio perfeito de riqueza, sabor e elegância.


Para a remoção das leveduras procede-se à remuage durante 2 meses. O degorgement glacée liberta as leveduras e de seguida adicionamos uma pequena quantidade de licor de expedição para terminar o vinho. Depois de um período de dois meses após todo este processo a garrafa de espumante está pronta para entrar no mercado.




Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação desta entrada.

O meu muito obrigada à NobreCarr's e Caves do Solar de São Domingos pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.





quinta-feira, 21 de maio de 2015

Risotto de Camarão e Espargos





















1 chávena de arroz para risotto (usei da marca Oriente Rice)
3 chávenas de caldo de camarão
10 camarões inteiros (usei o camarão selvagem de Moçambique da Marbeira/Frip)
150 g de camarão descascado Frina / Frip
6 espargos verdes frescos
4 colheres de azeite de qualidade 
1/2 cebola bem picada
1 dente de alho picado
50 ml de vinho branco
1 c. sopa de manteiga 
1 pitada de açafrão (usei a curcuma da Aromas e Especiarias)
1 pitada de pimenta preta 
Sal q.b. (usei a flor de sal Marnoto)


Comece por arranjar os espargos, lavando-os e cortando-os em pedaços com 2cm e reservando as pontas espigadas num outro recipiente.
Tempere o camarão descascado com sal e pimenta preta moída.
Num tacho, aqueça quatro o azeite e frite os camarões, até que adquiram um tom rosado. Retire os camarões e reserve. Nesse mesmo tacho, com o mesmo azeite que ficou no fundo, refogue a cebola e o alho, bem picados.
Quando a cebola estiver translucida, junte os espargos (guardando as pontas espigadas) e os camarões inteiros. Deixe refogar um pouco e acrescente o arroz, deixando-o ficar translúcido. Regue-o com o vinho branco e deixe evaporar. Tempere com sal, pimenta e uma pitada de caril.
Adicione um pouco de caldo de camarão e envolva. Tenha em atenção que, o caldo adicionado deverá ser apenas o suficiente para que o arroz fique cremoso. A melhor forma é ir adicionando o caldo, concha por concha, e à medida que ele vai pedindo mais, mexendo, sem parar, até o arroz ficar al dente.
Perto do fim da cozedura, acrescente as pontas espigadas dos espargos ao risotto e retifique o sal.
Quando o arroz já estiver no ponto, desligue o lume, acrescente os camarões que reservou e uma colher de sopa de manteiga, envolva e sirva de imediato.



Para acompanhar este prato, recomendo:



Quinta da Lixa Branco 
O tal Vinho da Lixa

Castas: Loureiro, Alvarinho e Trajadura
Região: Vinhos Verdes

O Quinta da Lixa é produzido com algumas das mais nobres castas da região dos vinhos verdes, produzidos e vinificados na região que lhes dá o nome.
Aspecto brilhante e cor citrina. No aroma apresenta um carácter frutado com algumas nuances a frutos tropicais e um caracter floral.
Na boca confirma toda a expectativa criada pela intensidade do aroma, muito equilibrado, este vinho apresenta-se seco com complexidade e persistência.






Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.


O meu muito obrigada à Frip, Aromas e Especiarias, Marnoto Quinta da Lixa pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...