Blogger templates

traduzir para inglêsTraduzir para Espanholtraduzir para françêstraduzir para alemão

terça-feira, 3 de março de 2015

Ovos Mexidos com Farinheira e Azeitonas




















1/2 farinheira (usei a farinheira de porco preto da Paladares Alentejanos)
4 ovos
1 c. sopa de azeitonas picadas
1 pitada de pimenta (usei da marca Margão)
Sal q.b. (usei a flor de sal Marnoto)
1 c. chá de salsa picada
Fatias de pão


Comece por retirar a pela à farinheira e adicione-a a uma frigideira quente, sem qualquer adição de gordura. Baixe o lume e vá mexendo enquanto a farinheira amolece e solta os seus sucos. 
À parte, bata bem os ovos e tempere-os com sal e pimenta. Adicione as azeitonas e mexa delicadamente.
Quando a farinheira já se encontrar cozinhada, verta a mistura de ovo sobre ela e misture bem. Deixe cozinhar um pouco, mexendo sempre, mas sem deixar secar.
Retire para um prato e polvilhe com salsa picada e acompanhe com  fatias de pão.




Para acompanhar este prato, recomendo:



São Miguel - Touriga Nacional
Casa Agrícola Alexandre Relvas
Herdade de São Miguel

Castas: Touriga Nacional

Notas de prova
- Cor
Rubi com reflexos violetas.
- Aroma
Aroma complexo de frutos do bosque, flores brancas e trufas bem integrados com notas de chocolate e tostados.
- Paladar
Redondo, rico e volumoso. Acidez equilibrada e taninos fino. Final longo e complexo.

Prémios: Até agora contam-se 6 prémios associados a este vinho.




Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Paladares Alentejanos, Margão, Marnoto e Casa Agrícola Alexandre Relvas - Herdade de São Miguel pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.











segunda-feira, 2 de março de 2015

Bolo de Mel Algarvio



















150 g de mel (usei o mel de eucalipto da Apimel)
200 g de farinha
1.5 c. chá de fermento (usei da marca Royal)
100 g de açúcar 
5 ovos
150 g de manteiga (usei Terra Nostra)
100 g de amêndoa moída


Pré-aqueça o forno a 200ºC.
Comece por untar uma forma de bundt cake (ou forma com chaminé) com margarina e polvilhe-a com farinha.
Bata a manteiga com o açúcar até obter um creme, adicione os vos, um a um, e batendo entre cada adição. Junte o mel e bata mais um pouco.
Acrescente aos poucos a farinha, o fermento e a amêndoa e continue a bater até obter um creme fofo e homogéneo.
Verta a massa na forma e leve ao forno durante, aproximadamente, 45 minutos.
Retire do forno, desenforme e deixe arrefecer.



Para preparar este bolo usei a espátula de silicone Tupperware da Abóbrinhas:




Para acompanhar este bolo, recomendo:




Late Bottled Vintage (LBV) 2003 - Quinta do Estanho

Vinho do Porto de excepcional qualidade, de uma só colheita oriunda de uvas tintas das castas Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca, Tinta Roriz, entre outras.
Verificado com especial rigor, envelhece em tonéis de madeira até ao 4º ou 6º ano e depois em garrafa.

Notas de Prova: Vinho retinto na cor, frutado e encorpado no paladar. 












Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste bolo.

O meu muito obrigada à Apimel, Royal, Terra Nostra e Quinta do Estanho pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.





sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Açorda de Ovas de Bacalhau com Camarão


















400 g de ovas de bacalhau congeladas da Ibertejo
10 camarões inteiros
400 g de pão tipo alentejano
2 ovos
1 fio de azeite (usei o azeite virgem extra - colheita especial - da Quinta da Lixa)
4 dentes de alho, laminados
1/2 cubo de caldo de marisco
Molho de piripiri q.b. (usei da marca Paladin)
Casca de cebola q.b.
1 ramo de coentros
1 pitada de pimenta (usei da marca Margão)
Sal q.b. (usei o sal marinho Marnoto)


Comece por cozer as ovas e os camarões em água temperada com um fio de azeite, casca de cebola, sal e molho de piripiri. após 10-12 minutos, coe o caldo, reserve-o e deixe arrefecer os camarões e as ovas.
Descasque os camarões, retire as peles ás ovas, esmague-as bem com um grafo e reserva ambos, separadamente.
Entretanto, aqueça o caldo de cozimento e junte o cubo de marisco, mexendo para dissolver. Ao mesmo tempo, desfaça o pão em pedaços pequenos.
Aqueça o azeite e junte-lhe os dentes de alho laminados, adicione-o pão, baixe o lume, e vá adicionando o caldo aos poucos. Mexa bem para desfazer o pão por completo e até se obter uma consistência uniforme (se necessário, junte um pouco de água quente, caso o caldo da cozedura tenha terminado).
Acrescente as ovas esmagadas, tempere com pimenta, misture e deixe cozinhar um pouco. 
Em lume muito brando, adicionam-se os ovos e mexe-se sempre para que estes não talhem. Caso a açorda esteja muito espessa, pode acrescentar mais um pouco da água quente. 
Por fim, retifique o sal e adicione os coentros picados. Sirva de imediato acompanhada pelos camarões que reservou.


Para acompanhar este prato, recomendo:


Aromas das Castas - Alvarinho Trajadura
Quinta da Lixa

Castas: Loureiro e Trajadura
Região: Vinhos Verdes
Aroma e paladar: Frutado com notas florais, de paladar frutado, elegante e persistente.

A casta Alvarinho é uma das variedades menos produtivas do mundo. Procure notações de fruta de caroço como o pêssego, esta variedade revela ainda notas de flor de laranjeira conferindo ao conjunto elegância e complexidade.
A casta Trajadura potencia o corpo e o prolongamento, com notações furtadas de pêra. 
Perfeita combinação de duas das mais nobres Castas da região dos Vinhos Verdes. Inspire-se no rótulo e sinta todo o potencial deste vinho equilibrado e e harmonioso. Visite: www.quintadalixa.pt








Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à IbertejoPaladin, Margão, Marnoto e Quinta da Lixa pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.



quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Hosomaki - Sushi (de Morango e Requeijão Cremoso)




















220 g de arroz para sushi da Oriente/ Novarroz
500 ml de água
2 c. sopa de vinagre para sushi da Paladin
1 c. sopa de açúcar
1 pitada de sal (usei a flor de sal Marnoto)
Óleo de sésamo q.b. (usei o óleo de sésamo torrado da Sovex)

Morangos maduros q.b.
1 embalagem de requeijão para barrar natural da Saloio
Folhas de alga nori


Lave o arroz em água corrente fria, transfira-o para um passador de rede e deixe-o escorrer por 1 hora.
Ao fim deste tempo, aqueça 500ml de água e, quando ferver, junte-lhe o arroz escorrido. Deixe cozer, em lume brando, até que toda a água seja absorvida. Reduza o lume para o mínimo que puder, tape, e coza por mais 5 minutos. Retire o tacho para uma superfície neutra e, tapado, deixe repousar por mais 10 minutos (ao fim deste tempo o arroz deve apresentar-se ligeiramente pegajoso, mas firme).
Entretanto, misture o açúcar com o vinagre e o sal e leve ao lume para dissolver, mexendo.
Transfira o arroz para um recipiente largo (tabuleiro de barro/plástico ou tábua de cozinha), regue-o com a mistura anterior, envolva bem e espalhe-o com o auxilio de uma espátula. Deixe-o secar e arrefecer por cerca de 10 minutos.

Peque no sushi maker maki e unte ambas as suas partes internas com óleo de sésamo.
Preencha a base com o arroz, sem encher demasiado e, com o auxilio de uma espátula, pressione-o um pouco para o comprimir. Ainda com a espátula, abra uma cavidade no centro do arroz (e em todo o comprimento).
Barre a cavidade com o requeijão e adicione tiras finas de morango, até preencher todo o espaço. Cubra com mais arroz e pressione levemente com a espátula. Coloque a tampa do sushi maker maki e pressione com as duas mãos sobre as abas laterais.
Desenforme e enrole o rolinho numa folha de alga nori até que este fique completamente envolvido. Unte, com óleo de sésamo, as pontas da alga nori para que colem.
Por fim, corte o rolo em fatias grossas e de tamanho semelhante.





Para preparar este sushi usei o Sushi Maker Tupperware da Abóbrinhas:






Para acompanhar este prato, recomendo:


Conde Villar Loureiro
Quinta das Arcas


Denominação: DOC Vinho Verde
Ano: 2013
Castas: Loureiro

Vinho com aspecto límpido e cristalino, com leves reflexos palha;
O seu aroma é intenso e frutado com aromas de frutos tropicais como a manga e a banana; leves notas florais que se misturam com a fruta abundante.
Na boca tem uma estrutura bem definida e frescura activa característica de um bom vinho verde.








Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Novarroz, Abóbrinhas, Paladin, Sovex, Saloio, Marnoto/Necton e Quinta das Arcas pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.




Sopa da Horta com Chouriço Mouro

















1 chouriço mouro da marca Sicarze
200 g de entrecosto carnudo, em pedaços
1 cebola
2 dentes alho
400g de batata para cozer
1 L de água
2 c. de sopa azeite extra virgem (usei o Azeite Castelo de Marvão)
200 g de acelga 
200 g de couve
100 g de cenoura
1 pedaço da parte branca do alho francês
Sal q.b. (usei o sal marinho Marnoto)


Comece por cortar a cebola, batatas e os dentes de alho em pedaços pequenos. Adicione-os a uma panela como litro de água e leve ao lume.
Quando ferver, tempere com sal e metade do azeite, tape e deixe cozer durante, cerca de, 20 minutos ou até as batatas estarem cozidas e a carne tenra. 
Entretanto, lave os restantes legumes e corte em juliana a acelga e a couve que preferir. Corte a cenoura em lâminas pequenas e o alho francês em pedacinhos.
Retire a carne para um prato e passe o preparado de batata pela varinha magica. Leve novamente ao lume, deixe retomar fervura e junte mais água, se necessário (mas pouca, pois a sopa deve ser cremosa), e acrescente os legumes que cortou. Deixe-os cozer por 15 minutos, acrescente o chouriço mouro em rodelas, deixe cozinhar um pouco e junte o restante azeite, deixando levantar fervura.



Para acompanhar este prato, recomendo:


Vinhão - Grande Escolha
Adega Ponte da Barca 

Castas: Vinhão
Região: Vinhos Verdes

É um vinho verde obtido exclusivamente a partir da rigorosa seleção da mais ilustre casta tinta da região - Vinhão.
 Com uma cor intensa e aroma a frutos vermelhos, tem um passado milenar e dispõe de características invulgares o que faz dele um vinho da modernidade pela sua polivalência gastronómica, sendo considerado um ex-libris na região. 

Este é um vinho excelente para o acompanhamento de pratos muito variados, entre outros pratos de carne, principalmente grelhados e assados.






Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Sicarze, Azeite Castelo de Marvão, Marnoto/Necton e Adega Ponte da Barca pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...