Pão Doce de Páscoa à Italiana (Pane di Pasqua)





















400 g de farinha
80 g de açúcar
165 ml de leite quente (usei o leite meio-gordo da Terra Nostra)
2 ovos
35 g de manteiga (usei da marca Terra Nostra)
25 g de fermento fresco
1/2 colher de chá aroma de anis
1/2 colher de chá de sal (usei a flor de sal Marnoto)

Decoração:
4 ovos cozidos de casca clara
1 colher de sopa de corante alimentar vermelho
1 colher de sopa de vinagre (usei da marca Paladin)
200 ml de água fervente
Leite q.b.
Pepitas multicolores do Multi Deco da Vahiné


Dissolva o fermento no leite quente e junte-lhe 125g da farinha, envolva bem e deixe repousar, tapado, por 30 minutos.
Após este tempo, junte a restante farinha à massa-mãe que esteve a repousar e adicione, também, o açúcar, misturando-os. Acrescente a manteiga amolecida, o aroma de anis, o sal e amasse bem. Por fim, junte o ovo e amasse, sovando, durante uns minutos ou até a massa  se apresentar lisa  e fofa (se necessário, junte mais farinha).
Forme uma bola com a massa, coloque-a num recipiente bem tapado com um pano grosso e deixe levedar, protegida de correntes de ar, até dobrar de volume (cerca de 2 horas).
Enquanto isto, misture a água fervente, o corante vermelho e o vinagre num copo largo. Coloque um ovo cozido no interior de uma vara de arames e mergulhe-os na mistura anterior, tendo em conta que o ovo deve estar submerso. Deixe-o assim por 5 minutos e transfira a vara de arames para um copo vazio para que o ovo seque. Execute este processo com os restantes ovos cozidos.
Entretanto, coloque a massa sobre uma superfície enfarinhada, divida-a em 8 bolas do mesmo peso e forme cordas com 30cm de comprimento. Una as pontas de duas das cordas e entrelace-as. Forme um anel com a massa entrelaçada, juntando as pontas e amassando-as ligeiramente com as pontas dos dedos. No centro do anel de massa, coloque um ovo pintado. Execute o mesmo processo para mais três folares.
Transfira os folares para dois tabuleiro forrados com papel vegetal, tape-os com um pano, e deixe levedar por mais 30 minutos.
Seguidamente, pincele os folares com leite e salpique-os, abundantemente, com as pepitas multicolores. Leve ao forno, pré-aquecido a 180ºC, por cerca de 20-30 minutos (faça o teste do palito).




Para acompanhar estes biscoitos, recomendo:


Porto Tawny
Ramos Pinto


O Tawny é um blend de 3 a 5 anos obtido por lotação de vinhos com um grau de maturação variável, conduzido através de envelhecimento em cascos e tonéis. Envelhecido em pipas, apresenta-se sempre mais evoluido do que o Ruby.

Notas de Prova:
Cor vermelha tawny, com menisco cor de topázio.
No aroma, a primeira impressão é de leveza, evoluindo para uma grande suavidade adquirida pelo estágio em madeira.
A sensação na boca é leve, quente e de grande macieza, resultado do seu envelhecimento.

Este “adolescente” é um Porto maduro e frutado com um carácter complexo e delicado. No final, o equilíbrio é perfeito, conferindo-lhe uma saborosa delicadeza.





Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação destes biscoitos.

O meu muito obrigada à Terra Nostra, Vahiné, Paladin, Necton e Ramos Pinto pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.